A Culpa é das Estrelas - Filme


     Olá pessoal!!!! Faz muito tempo que não faço nenhum comentário ou resenha aqui sobre um filme. Na verdade, acredito que fiz apenas a resenha do filme Catching Fire. Mas, hoje finalmente eu assistir A Culpa é das Estrelas e não tem como não fazer um comentário sobre o filme.
    Primeiro, se tem uma palavra que pode definir essa adaptação cinematográfica é EMOÇÃO. Você vai para ao cinema achando que não tem como ser surpreendido pela atuação de Shailene Woodley (Hazel) e Ansel Elgort (Augustus), que já chorou tudo o que podia com o livro e agora é apenas uma "simples" reprodução da história do livro. 



    Doce ilusão.... Isso mesmo! Você acha que está preparada para assistir A Culpa é das Estrelas e a partir da primeira cena, é surpreendida por uma onda gigantesca de emoção e sentimentos maravilhosos. Em alguns momentos é impossível saber se você está chorando ou sorrindo, mas o mais importante é que esteja preparada para se surpreender com o roteiro que foi desenvolvido por Scott Neustadler e Michael H. Weber e dirigido por Josh Boone. 
    Vamos a uma pequena sinopse do filme: diagnosticada com câncer da tireoide ainda criança, a jovem Hazel Grace Lancaster precisa da ajuda de um cilindro de oxigênio para se manter viva. Ao longo dos anos lutando contra a doença, chega um momento em que seus pais a incentivam a participar de um grupo de apoio cristão para crianças com câncer. Nesse grupo ela conhece Augustus Waters, um rapaz mais velho, que já se recuperou do câncer que teve nos ossos e foi ao grupo para apoiar o amigo Issac (Nat Wolff). A principal característica dos dois é o modo como encaram a doença: para Hazel o câncer está lhe matando a cada dia e isso deixará muitas pessoas feridas; já Augustus encara a situação como uma experiência que o ajudará a deixar um legado no mundo. 
    As opiniões de cada um sobre a doença são completamente diferentes, mas é isso que os aproxima e os faz ficarem juntos. No início, apenas o Gus parecia interessado, porém o amor fala mais alto e Hazel se entrega de corpo e alma a essa bela história de amor.



     Muitos podem achar que A Culpa É Das Estrelas  (ACEDE) é mais uma história clichê com os personagens principais destinados à morte. Mas, tente enxergar a história com outros olhos e sem nenhum preconceito. As doenças de Hazel e Gus servem apenas de circunstâncias para eles se conhecerem, poderia ter acontecido em um shopping, em um cinema, numa livraria, durante o carnaval, natal ou são joão e é isso que torna a história dos dois tão bonita. 
     Sabe aquilo que dizem que quando o amor verdadeiro está para acontecer, pode surgir nos mais diferentes e improváveis lugares, então é exatamente disso que trata a história do John Green. O foco não é o câncer, mas o AMOR, em sua forma mais bonita, pura, intensa e verdadeira de existir. 
     Se um dia eu puder conhecer o John Green pessoalmente e só puder dizer a ele uma palavra, a única que direi é OBRIGADA. Obrigada por compreender os sentimentos mais profundos de nós jovens, obrigada por mostrar nossas incertezas, medos, alegrias e principalmente obrigada por fazer com que sejamos mais compreendidos.

    É isso pessoal. Obrigada por acompanharem meu trabalho. Sei que estou em falta com vocês, mas estou tentando solucionar isso. Mais uma vez obrigada, bjoxxx e até a próxima.  

Share this:

JOIN CONVERSATION

2 comentários :

  1. Olá!
    A Culpa das Estrelas é simplesmente incrível, né? Livro, filme, socorro! Eu devo admitir que meti o pau quando descobri que o Ansel seria o Gus porque achei que ele não parecia com o que foi descrito, mas quebrei a cara quando assisti o filme. Ele a Shailene estão demais e estão muito diferente de como estavam em Divergente. Mesmo eu não tendo chorado (um dos únicos da sessão que não chorou), devo admitir que o filme é tocante, e que talvez meu olho tenha lacrimejado um pouco haha.

    André Luiz
    Viajando Nos Livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi AndreLuiz, como você conseguiu não chorar no cinema? Me diga seu segredo, porque acho que desidratei completamente durante o filme, kkkk. Engraçado que fiz esse mesmo comentário sobre o Ansel e a Shailene, eles estão completamente diferentes de Divergente. E com certeza a história de ACEDE é incrível. Obrigada pelo seu comentário, bjoxxx

      Excluir