Insugente

O simbolo da amizade na capa é bastante significativo
Ficha técnica:

Título: Insurgente (Insurgent)
Subtítulo: Uma escolha pode te destruir
Autor(a): Veronica Roth
Editora: Rocco Jovens Leitores
Edição: 1ª Impressão
Gênero: Distopia/ Relações Humanas
Ano de publicação: 2013
Quantidade de páginas: 509
Quantidade de capítulos:  47

Resenha:


Olá povo!!! Hoje eu vim falar sobre o segundo livro da trilogia Divergente. Sim, faz um tempinho que terminei de ler a série,  mas como eu estava (e ainda estou) meio perdida com esse novo ritmo de vida que estou levando, fiquei devendo algumas resenhas para vocês. Porém , don’t panic! Estou me organizando e tentando por o blog para funcionar a toda velocidade.  Agora, vamos a resenha e pra quem não leu Insurgente ainda é melhor procurar outro post aqui na lista (clique aqui), pois essa resenha conterá spoilers.

O detalhe da lombada ficou bonito
            Após o ataque de simulação comandado por Jeanine Matteus, líder da Erudição e que matou praticamente toda a população da Abnegação, a única alternativa de Beatrice Prior, ou melhor, Tris é fugir com Tobias para a sede da Amizade. Porém, o problema é que eles não estão sozinhos nessa fuga. Caleb, Peter e Marcus vão com eles no trem que segue para fora da cerca.
Depois que percebi que no final da capa temos a imagem da Chicago futurísta
            Tris ainda esta tentando entender o que realmente aconteceu com sua antiga facção e para superar alguns traumas emocionais que essa revolução, ou melhor, guerra lhe causou ela conta com a ajuda do namorado e dos novos amigos que fez durante a iniciação na Audácia. E por falar nisso, esse dia que era para ser marcado pela alegria de finalmente ser um membro da nova facção, se transforma no pior pesadelo que poderia ter acontecido à Tris.
Segunda capa bem simples
            Em um pequeno espaço de tempo, a garota precisa aprender a lidar com a morte dos pais, o risco iminente  da própria morte, a desconfiança e os segredos existentes entre ela e Tobias, além da traição de uma pessoa que ela menos esperava.
            O fato de a história ser narrada em primeira pessoa, deixou algumas partes do livro em pouco massivas. Mas, se a Tris não fosse tão desconfiada, talvez teríamos  um rumo diferente para a história.
            Em Insurgente temos mais cenas de ação, lutas e guerra do que no primeiro livro da série (clique aqui). Nele nos temos o relato de como se deu todo o conflito para a caminhada da construção de uma nova sociedade. Também é nesse livro que passamos a entender melhor como funciona cada facção e as obrigações de cada membro dentro do sistema.


Diagramação seguindo o estilo de Divergente

Adorei esse trecho do livro
            Porém, o que mais nos surpreende é o melhor contato com o ambiente de convivência dos sem-facção. Eles passam quase despercebidos em Divergente e o enredo faz com que acreditemos que os sem-facção são pessoas sofridas, sem a menor condição de sobreviverem de maneira digna e organizada.
            A diagramação de Insurgente segue o mesmo estilo do primeiro livro da série. Mesmo com as cenas de ação e luta, o enredo é um pouco lento. Acredito que a autora Veronica Roth deve surpreender a todos em Convergente, estou com ótimas expectativas para o final da série. Aliás, o final de Insurgente praticamente salva o livro inteiro, já descobrimos um grande segredo que muda completamente o rumo de toda a história.
Foto mais atual da autora no segundo livro
            Vocês podem conferir abaixo o book trailer de Insurgente e assim sentirem o gostinho da ação que acontece em toda história: 




       Bom pessoal espero que vocês tenham gostado. Deixem nos comentários o que acharam do livro. Obrigada por acompanharem meu trabalho. Bjoxxx e até a próxima =)

Share this:

JOIN CONVERSATION

    Blogger Comment

0 comentários :

Postar um comentário