Após 14 anos, Os Karas ganha novo livro



     Faz 30 anos que chegava pela primeira vez as livrarias um dos primeiros best-sellers nacionais: A Droga da Obediência, de Pedro Bandeira, é considerado por muitos uma revolução no que diz respeito a literatura infanto-juvenil. Com mais de 30 milhões de exemplos vendidos. O sucesso da série ainda poder ser facilmente percebido nas livrarias.
      Em entrevista ao jornal Estadão, Bandeira afirmou que teve dificuldade para inserir os personagens da trama no século 21. O principal motivo está relacionado a uma questão fundamental para os jovens de hoje: o avanço tecnológico. “Fiz uma história que teria computadores e backers, mas, enquanto escrevia, aqueles modelos que eu usava saiam e moda. [...] Mas como escrever uma história sem que eles pesquisassem no Google, por exemplo?” (extraído de: Estadão)
      Na época do lançamento de A Droga da Obediência (atualmente com quase 2 milhões de cópias vendidas), Bandeira lançou mais quatro títulos; “Pântano de Sangue”,  “Anjo da Morte”, “A Droga do Amor” e “Droga de Americana!”. Nesses livros Miguel, Chumbinho, Calu, Crânio e Magrí, os alunos do Colégio Elite solucionavam secretamente e sem ajuda de celular os crimes mais complicados da cidade. A internet, tão popular entre os adolescentes de hoje, nem passava pelos sonhos dos garotos.


      Agora, após 14 anos do lançamento do até então último livro da série, Pedro Bandeira encontrou uma solução para inserir de vez Os Karas no século 21. “Eu os fiz crescer, coloquei Miguel, o líder, a recordar como surgiu aquela turma. A amizade é o primeiro grande ponto social do ser humano.” (extraído de: Estadão)
      Assim, na última quinta-feira (28), na Bienal do Livro em São Paulo, o livro “A Droga da Amizade” foi lançado em um bate-papo com Ziraldo e Eva Fumari. Junto com a mais recente publicação da série todos os demais livros ganharam um novo projeto gráfico.
E o que explica o sucesso da série lançada há 30 anos? O fato das histórias terem deixado as páginas dos livros e ainda permanecerem vivos na memória dos leitores. Como exemplo, Bandeira lembrou de uma carta de uma juíza que lhe declarou: ”Cada vez que pego um processo, penso como um ‘Kara’ agiria numa hora dessas” (extraído de: Estadão).

      Muitos desses leitores tornaram-se amigos do autor, e terminaram por estabelecer um vínculo de relacionamento com Bandeira. Esse relacionamento tão próximo fez com que a confiança dos leitores com o autor apenas crescesse e se transformasse em uma bonita troca de experiências.
      Outro detalhe que Pedro Bandeira ressaltou em sua entrevista é o sucesso das autoras chiklit, principalmente entre o público feminino. Ele propõe o surgimento de autores que atendam os leitores do gênero masculino que devido a ausência de obras direcionadas à esse publico, buscam livros de autoajuda, ou os do tipo “como vencer na vida” (extraído de: Estadão)


      Para o autor, o que justifica esse crescente número de leitores é o grande incentivo das escolas, pois os professores começaram a estimular o hábito da leitura, costume que muitas famílias infelizmente ainda não desenvolveram. O estímulo desde cedo a leitura de qualquer livro, gera um hábito comum na vida da criança/ adolescente e representa o primeiro passo para levá-lo aos grandes clássicos da literatura. Conheci Os Karas na escola como leituras obrigatórias da ficha de leitura e sempre achei os livros muito interessantes. Confesso que na época, queria que as aventuras vivenciadas pelos personagens também acontecessem comigo.

     Para encerrar Pedro Bandeira destacou três pontos que precisão ser levados em consideração: em primeiro lugar a reinvenção das obras, da maneira de escrever e do próprio autor é que mantêm o sucesso das histórias. Em segundo lugar as histórias devem apresentar personagens do folclore brasileiro, que na opinião do autor, passam despercebidos pelos autores nacionais. E por último, ele ressalta o fato das bienais acontecerem para aproximar o público leitor do autor que sai do seu local de trabalho e aparece para dizer “Olha, eu sou o livro, pode encostar.”(extraído de: Estadão)
     Muito obrigada por acompanharem meu trabalho. Quero avisar que esse mês de setembro será bastante complicado, e que talvez não saiam posts todos os dias. Mas não se preocupem, o Blog não ficará parado nem um dia. Obrigada pelo crescente número de visitas. Não esqueçam de  curtir a fanpage do blog, nem de clicar aqui ao lado para seguir o blog! Em breve teremos mais novidades. Bjoxxx e até a próxima =)

Fonte: Estadão 

Share this:

JOIN CONVERSATION

4 comentários :

  1. Eu tenho o primeiro livro, somente. Ficou do meu irmão mais velho pra mim, Haha! Adorei...
    Já estou seguindo, pode me ajudar com meu novo cantinho?
    Obrigada
    http://rabiscosecenas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pela visita Carolina. Você deveria ler os outros livros da série são ótimos! Bjoxxx

      Excluir
  2. Que notícia ótimaaa! Eu adorava os Karas! :D o Pedro Bandeira marcou a minha infância/adolescência com as obras dele! <3
    beijos!

    http://beyondcloudnine.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele também marcou a minha infância! Obrigada pela visita Manu, bjoxxx

      Excluir