[Dicas] 8 livros para o Dia da Mulher



      Hoje é 8 de março, data em que comemoramos o Dia Internacional da Mulher. Esse dia foi escolhido por causa das mortes de operárias em uma fábrica nos Estados Unidos, que foram assassinadas brutalmente enquanto lutavam por seus direitos. É verdade que conquistamos muitas coisas, mas ainda estamos longe de termos os mesmos direitos que os homens e que para dá um basta definitivo no machismo precisamos começar educando nossas crianças desde muito cedo.
      Assim para celebrar a data de hoje, aqui estão oito indicações literárias de mulheres que acreditaram e seguiram seu coração:


A cor púrpura (Alice Walker) – Esse livro retrata a história de Celie, uma jovem afro-americana, criada na região sul da Georgia. A protagonista é estuprada repetidas vezes por seu pai e acaba dando a luz a duas crianças, frutos dos abusos. Quando a irmã de Celie, Nettie é pedida em casamento, o pai convence o futuro genro a casar com Celie que passa a ser vítima do marido em um violento lar. Nettie foge de casa e após 30 anos reencontra a irmã.  


Emma (Jane Austen) – Emma é bonita, sagaz e rica. Além dessas características, ela gosta de dominar o mundo social da pequena Highburg e fica extremamente irritada quando as pessoas não agem como ela gostaria. Emma tentar casar seu protegido Harriet Smith, ao mesmo tempo em que precisa entender seus sentimentos em relação ao Sr. Kinglitley, vizinho e único crítico de Emma. 


E o vento levou (Margaret Mitchell) – Scarlett e seu cortejo estão passando por um tumultuado período econômico, que arrasou os Estados Unidos. Conhecido principalmente pelo triângulo amoroso entre Scarlett, Rhett e Ashely, o romance traz temas polêmicos que provocaram protestos e deu novos rumos a forma de escrever romances americanos.


Não sou uma dessas (Lena Dunham) – Autobiografia de uma das mentes mais criativas da atualidade. Roteirista, diretora, produtora e atriz da série Girls da HBO, Lena Dunham relata trechos de sua vida sem nenhum pudor, receio ou medo de revelar os momentos mais íntimos de sua vida. As histórias não são narradas em uma ordem cronológica, mas dividas em seções que estão diretamente relacionadas aos momentos mais comuns à vida de todas as jovens adultas. 

A menina do vale ( Bel Pesce) – Obcecada por conhecimento, Bel sempre buscou realizar seus sonhos. Em 2009, ela se mudou para o Vale do Silício, na Califórnia e começou a se dedicar a prática do empreendedorismo, voltado sua energia para o mercado de startups (empresas jovens e inovadoras, que buscam um modelo escalável e sustentável de negócio. Para Bel, a prática do empreendedorismo vem com o trabalho. 


A arte de pedir (Amanda Palmer) – Cantora, compositora, ícone indie, feminista e mobilizadora de multidões na internet, Amanda Palmer, mulher de Neil Gaiman, é a representação da conexão entre o artista e seu público. Após sair da gravadora, ela resolveu que recorreria às vaquinhas online para continuar a seguir sua carreira de cantora com a banda. O financiamento coletivo fez que milhões de fãs colaborassem para a produção do próximo álbum de sua banda. O livro trata essencialmente da necessidade de recorrer ao outro sem temor, medo ou reservas. 

O diário de Anne Frank (Anne Frank) – Esse livro reconstrói os momentos mais tensos que a família Frank viveu durante o período da Segunda Guerra, na cidade de Frankfurt. O clima de anti-semitismo, a fuga da Alemanha e a vida no esconderijo são retratados através de fotos e cartas inéditas que foram obtidas com parentes e amigos. Além disso, percebemos o ambiente social em que Anne cresceu antes e depois da fuga e os últimos meses de sua vida, após ter sido traída, capturada pelos nazistas e enviada ao campo de concentração.


#Girlboss (Sophia Amoruso) – Sophia Amoruso começou sua carreira de vendas online com um livro roubado. Ela passou a adolescência cometendo pequenos furtos e remexendo em meio ao lixo. Aos 22 anos, desempregada ela começou a vender roupas vintage pela internet através do eBay. Hoje ela é fundadora, CEO e diretora criativa de uma das maiores companhias da internet.   
      Não esqueçam que todos, absolutamente todos são dias em que as mulheres precisam de amor, carinho, atenção e principalmente RESPEITO. Obrigada por acompanharem meu trabalho, deixem aqui nos comentários o que estão achando do blog. Não esqueçam de acompanhar as redes sociais, bjoxxx e até a próxima =)

Share this:

JOIN CONVERSATION

2 comentários :

  1. Já li o Anne frank e não gostei muito mas fiquei interessada em não sou uma dessas e a cor purpura.
    rebeldiaemv.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Marjorie, o Não sou uma dessas é muito bom, principalmente pelo fato da história ter sido contada pela própria autora, acho que você vai gosta. Quanto a Anne Frank eu li apenas trechos do diário, nunca o livro inteiro então não posso dá uma opinião concreta se gostei ou não. E a cor púrpura eu apenas assistir ao filme há muito tempo, acredito que o livro deva ser mais emocionante. Obrigada por sua visita.Bjoxxx

      Excluir