[Resenha] As vantagens de ser invisível


 Título original: The perks of being a wallflower
Autor: Stephen Chobosky
Editora: Rocco Jovens Leitores

      Quem é Charlie? Sério... Alguém pode me responder, por favor! Se você ainda não leu “As vantagens de ser invisível”, mas pelo menos sabe alguma coisa sobre o livro, deve está achando que estou louca, pois Charlie é o personagem principal da história. Porém, mesmo como protagonista e narrador dos fatos, ele é uma figura totalmente desconhecida, pois ninguém sabe seu nome verdadeiro, seu endereço ou até mesmo a sua idade verdadeira.
      Pela descrição dos acontecimentos que são narrados nas cartas de Charlie, percebemos que ele é um adolescente com aproximadamente 16 ou 17 anos, estudante do ensino médio e que está bastante confuso. Logo no início do livro, ele afirma que o amigo destinatário não saberá muitas informações pessoais que facilitem a identificação do autor das cartas. Nada de endereço, telefone ou até mesmo nomes que facilitem a identificação de quem é Charlie.


      À medida que as cartas são escritas, você começa a criar uma imagem de como essa pessoa é de verdade, pois muito mais que as características físicas, Charlie põe no papel sentimentos presentes em algum momento de nossas vidas: a alegria de um novo amor, a curiosidade pelo novo e a dor da perca de um parente querido. Esses sentimentos nos ajudam a compreender quem somos de verdade e em que o mundo ao nosso redor pode influenciar em nossa capacidade de entender e compreender o universo que nos cerca.
Nesse sentido, a gente pode perceber que Charlie está meio que perdido entre o mundo real que habita e o mundo paralelo, criado por ele mesmo. Além de mostrar que todos nós podemos mudar, Charlie prova por A+B o quanto nossos traumas de infância exercem o papel de determinar nosso comportamento e nossa reações nos momentos considerados mais delicados de nosso cotidiano.
      O que eu quero dizer é o Charlie pode ser eu, você ou qualquer outra pessoa.... Mas, além disso, o Charlie é muito mais que um simples personagem, ele retrata o quanto nossos sentimentos são fortes, verdadeiros e por que não puros.


      Um dos trechos que mais me chamaram atenção no livro, é quando o Charlie diz que quer descobrir o que tem de errado com ele e que na verdade, ele que alguém explique como ele pode ser diferente. Quem nunca se pegou pensando assim? Sempre, em algum lugar do planeta, alguém passará por esse conflito em algum momento, é verdade que alguns mais que outros.
      “As vantagens de ser invisível” é um daqueles livros em que o leitor está no personagem e o personagem no leitor e mesmo nessa confusão de quem é quem, ou até mesmo de não saber como o personagem principal é de verdade, o autor soube trabalhar todos os sentimentos e emoções do leitor. Poucos autores sabem mexer com o lado sentimental do leitor de uma maneira tão delicada e gradativa.


      Após ler o livro quero deixar duas sugestões: a primeira que você assista ao filme do livro com a Emma Watson, Logan Lerman e Ezra Miller. A segunda sugestão é o que tentar ver o mundo de uma maneira diferente e sem muitas amarras aos antigos conceitos.
      Bem por hoje é isso. Desculpem passar esses dias sem postar nada, mas eu estava doente. Obrigada por acompanharem meu trabalho aqui no blog e não se esqueçam de seguir as redes sociais. Bjoxxx e até a próxima =)

Share this:

JOIN CONVERSATION

2 comentários :

  1. Amo demais esse livro! Sou apaixoanda pelo Charlie e estou in love com seu marcador
    http://toobege.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também adorei esse livro Mariana! Se você quiser, deixe seu endereço aqui no formulário de contato do blog, que mando alguns marcadores para você. Obrigada pela visita, bjoxxxx

      Excluir