[Resenha] Não sou uma dessas


 Título original: Not that kind of girl
Autora: Lena Dunham
Editora: Intrínseca

      Se você ainda não  viu, pelo menos já deve ter ouvido alguém ou algum site da internet comentar sobre a série “Girls”, da HBO. Como o próprio nome diz, essa série trata sobre garotas, mas engana-se quem pensa que o universo apresentado se resume a romances perfeitos, conversas fabulosas e tardes de compras nos shoppings e lojas de ruas da cidade. A série mostra o universo feminino como ele realmente é e apresenta de maneira singular às dúvidas, questionamentos e o cotidiano comum a quase todas as mulheres nascidas após os anos de 1980, que não precisaram lutar para ter um espaço, mas precisaram brigar para se manter no lugar que ocupam hoje.


      O cenário de “Girls” é apenas uma amostra da vida real de sua criadora, diretora, roteirista, produtora executiva e atriz Lena Dunham uma garota totalmente urbana, filha de artistas e que não tem nenhum medo de expressar sua opinião sobre o mundo. O fato de Lena escrever sua biografia deixa claro outra questão da personalidade dela, não gostar de mandar recado e não ter medo de se abrir para o mundo e contar absolutamente todas as experiências pessoais que passou.
      Não é por acaso que o livro se chama “Não sou uma dessas, uma garota conta tudo que ‘aprendeu’ “ (Not kind of girl: a Young woman tells you what she’s ‘learned’ “) já que Lena se mostra como uma verdadeira expoente da geração de mulheres entre os 20 e 35 anos. Sem sombra de dúvida ela deixa claro que não é porque  nascemos depois da revolução feminista dos anos 1970, em mulheres ao redor do mundo inteiro passaram a debater de igual para igual com os homens em busca de mais respeito, que perdemos a feminilidade e a sensibilidade.
      Mas do que isso é preciso muita coragem para expor experiências pessoais com a riqueza de detalhes que Dunham escreve. Estou me referindo às experiências mais comuns (como a de estabelecer laços de amizade) até ao fato de contar como foi estuprada. As loucuras da época da faculdade, os medos da infância, as dúvidas da adolescência e as incertezas do que queremos para o futuro, tudo isso torna Lena Dunham uma pessoa de carne e osso como todas  e todos nós.


      Porém, o que achei mais interessante desse livro é que, o fato de não ter sido escrito por outra pessoa e ter sido publicado enquanto a Lena ainda estar viva mostra a coragem dela, em expor o lado glamoroso da vida dela e o que aconteceu de ruim. Não é a toa que Lena pode ser considerada uma das mentes mais brilhantes da atualidade nos estúdios de Hollywood.
      O livro é dividido em cinco seções: “Amor e Sexo”, “Corpo”, “Amizade’, “Trabalho” e “Panorama”. As memórias de Dunham não aparecem em uma ordem cronológica certinha, mas como em uma caixa de lenços de papel, em que uma vai puxando a outra e outra, até aquela que serve para finalizar o capítulo ou seção e dá espaço para novos assuntos e novas memórias.


      Quando eu vi “Não sou uma dessas” pela primeira vez confesso que julguei o livro pela capa e achei que seria mais um chick-lit, desses bem mulherzinha. É por essas e outras que digo, julgar um livro pela capa é muito feio e o melhor de tudo é quando o mesmo te surpreende de maneira positiva.
      As ilustrações que compõem a narrativa são muito bem elaboradas, com um traço forte e de quem conhece verdadeiramente a alma e as histórias de Lena. Joana Avellez ilustradora do livro é amiga  há 25 anos de Dunham, ou seja, desde a infância e mais do que qualquer outro ilustrador tem a liberdade e propriedade para retratar a garota gorduchinha que a  autora foi na infância e a jovem mulher que ela se tornou. 





      Nem preciso dizer que fiquei ainda mais fã do trabalho da Lena Dunham depois de ler a sua história. É bom saber que as dúvidas, incertezas, certezas e sensações mais estranhas não se restringem apenas a mim. Agora mais do que nunca sei que sou uma jovem normal, com as dúvidas que o futuro reserva e que irão surpreender a todas nós, jovens de vinte e poucos anos ou mais, ao longo do caminho. 
     Obrigada por acompanharem o blog. Sei que esse último mês foi cheio de buracos, mas agora aos pouquinhos tudo está “voltando à normalidade”. Não deixem de participar do sorteio do livro “Agência de Investigações HolísticasDirk Gently” que está rolando na fanpage em parceria com a Editora Aqueiro (clique aqui). Deixem os comentários sobre o que acharam da resenha e não esqueçam de acompanhar as redes sociais do blog. Bjoxxx e até a próxima =)

Share this:

JOIN CONVERSATION

2 comentários :

  1. Oi Tathi!

    Acho a Lena Dunham incrivel! Não sou fã da série Girls, porém gosto bastante dela e tenho muita vontade de ler esse livro. Ótima resenha!

    P.S: Te vi no Evento da Herdeira, só que fiquei com vergonha de falar ctg. #soudessas É que você chegou bem depois e tava uma loucura, muita gente, muito apertado.

    Beijos!

    Cintia
    http://www.theniceage.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não acredito Cintia!!!! Por que não falou comigo???? Queria muito te conhecer pessoalmente. Na próxima não vou deixar passar, viu! Que bom que você gostou da resenha. Também não sou fã da série, mas gosto de assistir de vez em quando. Espero nos encontrarmos mais vezes, e dessa vez para nos conhecermos, ok! Bjoxxxx

      Excluir