[Resenha] O príncipe dos canalhas


Título original: Lorde of Scoundrels
Autora: Loretta Chase
Editora: Arqueiro

No primeiro livro da série dos canalhas, conhecemos Sebastian Ballister ou Lorde Belzebu: um homem que desde cedo pareceu quebrar os padrões da sociedade em que viva. Filho do velho lorde Dain, senhor de Athcourt, um homem severo que jamais soube amar de verdade os filhos e sua família. Sebastian não era o primeiro herdeiro do conde de Blackmoor, ele já havia tido quatro filhos: três meninos e uma menina todos falecidos por causa da tifo, frutos do primeiro casamento. O velho lorde nunca foi dado a demonstrações de carinho e sempre dedicou a maior parte do seu tempo às suas terras.


      Após a morte de sua primeira esposa, a amante do velho Dain exigiu que ele se casasse novamente e aos 42 anos Dominick Ballister viu-se cortejando a jovem Lucia Usignudo, a filha de 17 anos de um nobre florentino. Assim, nasceu Sebastian que desde os primeiros dias já dava sinais de que seria um dos maiores e mais temíveis dos homens. Desde cedo, ele precisou enfrentar o desprezo do pai, principalmente pelo fato dele não se parecer em nada com os nobres ancestrais Ballisters.
      Quando sua mãe fugiu, deixando-o aos 8 anos o pequeno Dain teve  a certeza que viveria no inferno. Depois de duas semanas ele foi colocado em uma carruagem e enviado a tradicional escola de Eton. Como todo colégio interno, os garotos que ali residiam não aliviaram e mais uma vez Sebastian provou ser mais forte. Após o colégio, ele seguiu para a universidade de Oxford contra a vontade do pai e aprendeu como ganhar cada centavo de sua farta renda financeira.


      Jessica Trent como certeza era uma jovem bem à frente do seu tempo para os padrões da época. Desde cedo, ela aprendeu a lidar com a indiferença dos homens, pois além do seu irmão, a jovem precisou ajudar a criar cerca de 10 primos, todos filhos do casal de tios que a criaram após a morte dos pais. Determinada, inteligente e independente, Jessica não deseja se casar, seu objetivo na vida é abrir uma loja de antiguidades e trabalhar para garantir o próprio sustento. O único grande “problema” da vida da moça é o irmão, Bertie que mesmo sem dinheiro, passa os dias na farra com o Marquês de Dain. Para tirar seu irmão das garras do lorde, Jessica aceita qualquer desafio, inclusive encarar o próprio Belzebu.
      Quando esses personagens tão fortes e de personalidades tão diferentes se encontram, as faíscas do amor e da paixão surgem quase que instantaneamente. A princípio, os dois tentam negar esse sentimento e por causa disso viram o principal assunto das mesas de apostas de Paris. Ao se casarem, Sebastian e Jessica vão morar na propriedade centenária dos Ballisters e entregam-se de uma vez por todas à paixão que sentem.


      Narrado em terceira pessoa, o livro apresenta os pontos de vista dos dois personagens principais e, além disso, o enredo da narrativa é bastante envolvente. Aqui o cenário principal onde a história acontece é a cidade de Paris, na França do século 19. O que foge um pouco do padrão dos romances épicos.
      Outro detalhe que chamou bastante atenção foi a descrição das características físicas dos personagens em relação a foto da capa. Muitas vezes ao longo da leitura, me peguei comparando a descrição de lorde Belzebu (moreno, alto, nariz avantajado) um típico italiano com o verdadeiro lorde inglês que aparece na capa. O mesmo pode ser dito sobre a aparência da Jess, que no livro é descrita fisicamente quase tão delicada como uma porcelana chinesa e na imagem da capa, aparece apenas centímetros mais baixa que o lorde.

      Loretta Chase não é nenhuma estreante no universo dos romances épicos. Ela publica suas histórias desde 1987 e desde então já ganhou vários prêmios com suas narrativas, inclusive o RITA, da Associação Americana de Escritores de Romances. Mesmo com uma construção dinâmica e rápida da história para o padrão dos romances épicos, achei que a mudança de comportamento de Belzebu aconteceu de maneira gradativa, desde o momento em que ele conheceu e deu o primeiro beijo em Jess, a única mulher que foi capaz de dominá-lo. 
      Obrigada por acompanharem meu trabalho. Não se esqueçam de seguir as redes sociais do blog e o canal do Youtube (Clique aqui para se inscrever). Bjoxxx e até a próxima =) 


Share this:

JOIN CONVERSATION

    Blogger Comment

0 comentários :

Postar um comentário