[WishList] Dia da Mulher


            Toda mulher já nasce guerreira! Ao contrário do que algumas pessoas insistem em dizer, não temos nada de frágil e muitas vezes somos a força que move um lar, uma cidade e o mundo. Por isso, mais do que todos os outros dias, hoje 08 de março, devemos nos homenagear e reverenciar a todas aquelas que lutaram por nosso espaço antes de nós.
            Pensando nisso, aqui vão oito dicas literárias para nós conhecermos uma pequena parte do universo literário feminino:

Sejamos todos feministas, Chimamanda Ngozi Adichie


O que significa ser feminista no século XXI? Por que o feminismo é essencial para libertar homens e mulheres? Chimamanda Ngozi Adichie ainda se lembra exatamente do dia em que a chamaram de feminista pela primeira vez. Foi durante uma discussão com seu amigo de infância Okoloma. “Não era um elogio. ‘Percebi pelo tom da voz dele; era como se dissesse: Você apoia o terrorismo!’.” Apesar do tom de desaprovação de Okoloma, Adichie abraçou o termo e – em resposta àqueles que lhe diziam que feministas são infelizes porque nunca se casaram, que são “antiafricanas” e que odeiam homens e maquiagem – começou a se intitular uma “feminista feliz e africana que não odeia homens, e que gosta de usar batom e salto alto para si mesma, e não para os homens”.
 Neste ensaio preciso e revelador, Adichie parte de sua experiência pessoal de mulher e nigeriana para mostrar que muito ainda precisa ser feito até que alcancemos a igualdade de gênero. Segundo ela, tal igualdade diz respeito a todos, homens e mulheres, pois será libertadora para todos: meninas poderão assumir sua identidade, ignorando a expectativa alheia, mas também os meninos poderão crescer livres, sem ter que se enquadrar em estereótipos de masculinidade. 
Sejamos todos feministas é uma adaptação do discurso feito pela autora no TEDx Euston, que conta com mais de 1,5 milhão de visualizações e foi musicado por Beyoncé A questão de gênero é importante em qualquer canto do mundo. É importante que comecemos a planejar e sonhar um mundo diferente. Um mundo mais justo. Um mundo de homens mais felizes e mulheres mais felizes, mais autênticos consigo mesmos. E é assim que devemos começar: precisamos criar nossas filhas de uma maneira diferente. Também precisamos criar nossos filhos de uma maneira diferente.

Agatha Christie from my heart: uma biografia de verdades, Tito Prates


Primeira biografia da Rainha do Crime escrita originalmente em português, com autorizações do Agatha Christie Trust, Agatha Christie Ltd. e Mathew Prichard, neto da escritora.
Agatha Christie é a maior escritora de best-sellers de todos os tempo, chegando ao incrível número de 4 bilhões de cópias vendidas. Esta biografia não contém spoillers de suas obras, mas tem um breve relato sobre cada uma, além de mostrar toda sua trajetória de vida.

Jane Austen: uma vida revelada, Catherine Reef


Uma biografia contundente, perspicaz e divertida como uma legítima obra de Jane Austen, a vida revelada da escritora mais importante do século XIX. Embora seja uma das escritoras mais amadas de todos os tempos, JANE AUSTEN ainda é uma figura de grande mistério. Seria ela a gentil e doce tia Jane? Ou uma moça de língua afiada, ardilosa, como sugere sua escrita? Como passava seus dias? E, se ela nunca alcançou o mesmo final feliz de suas personagens, teria ao menos encontrado o amor verdadeiro?
Ambientando sua narrativa no contexto da aristocracia inglesa do século XIX, Catherine Reef extrai informações de cartas escritas por Austen para conceber um relato íntimo da vida e dos sentimentos da escritora. A narrativa inclui detalhes dos seis fascinantes romances publicados pela escritora.

O ano em que disse sim, Shonda Rhimes


Um livro motivador da aclamada e premiada criadora e produtora executiva dos sucessos televisivos Grey’s Anatomy, Private Practice e Scandal, e produtora executiva de How to Get Away with Murder. Você nunca diz sim para nada. Foram essas seis palavras, ditas pela irmã de Shonda durante uma ceia de Ação de Graças, que levaram a autora a repensar a maneira como estava levando sua vida. Apesar da timidez e introversão, Shonda decidiu encarar o desafio de passar um ano dizendo “sim” para as oportunidades que surgiam.
 Os “sins” iam desde cuidar melhor de sua saúde até aceitar convites para participar de talk shows e discursos em público. Além disso, Shonda deu um difícil passo: dizer sim ao amor próprio e ao seu empoderamento. Em O Ano em que disse sim, Shonda Rhimes relata, com muito bom humor, os detalhes sobre sua vida pessoal, profissional e como mergulhar de cabeça no “Ano do Sim” transformou ambas e oferece ao leitor a motivação necessária para fazer o mesmo em sua vida.

#GIRLBOSS, Sophia Amoruso


Sophia Amoruso passou a adolescência viajando de carona, furtando em lojas e revirando caçambas de lixo. Aos 22 anos ela havia se conformado em ter um emprego, mas ainda estava sem grana, sem rumo e fazendo um trabalho medíocre que assumiu por causa do seguro-saúde. Foi aí que Sophia decidiu começar a vender roupas de brechó no eBay.
 Oito anos depois, ela é a fundadora, CEO e diretora criativa da Nasty Gal, uma loja virtual de mais de 100 milhões de dólares, com mais de 350 funcionários. Além da história de Sophia, o livro cobre vários outros assuntos e prova que ser bem-sucedido não tem nada a ver com a sua popularidade; o sucesso tem mais a ver com confiar nos seus instintos e seguir a sua intuição. Uma história inspiradora para qualquer pessoa em busca do seu próprio caminho para o sucesso.

My Lady Jane, Cynthia Hand, Brodi Ashton, Jodi Meadows 


Esta história cômica, fantástica, romantical, best-seller, (não) inteiramente verdadeira de Lady Jane Grey é "uma fantasia histórica tumultuada que não deve ser desperdiçada" (Publishers Weekly, starred review). Em My Lady Jane, as co-autoras Cynthia Hand, Brodi Ashton e Jodi Meadows criaram uma fantasia única da YA na tradição de The Princess Bride, apresentando um rei relutante, uma rainha ainda mais relutante, um corcel nobre, e apenas uma semelhança passageira com a história real - porque às vezes a história precisa de um pouco de ajuda.
Aos dezesseis anos, Lady Jane Grey está prestes a ser casada com um estranho e é apanhada em uma conspiração para roubar seu primo, o rei Eduardo, de seu trono. Mas esses problemas insignificantes não são  nada para Jane se preocupar. Jane começa a ser Rainha da Inglaterra.
Como que poderia dar errado.

Grande magia. Vida criativa sem medo, Elizabeth Gibert 


Ao compartilhar histórias da própria vida, de amigos e das pessoas que sempre a inspiraram, Elizabeth Gilbert reflete sobre o que significa vida criativa. Segundo ela, ser criativo não é apenas se dedicar profissional ou exclusivamente às artes: uma vida criativa é aquela motivada pela curiosidade. Uma vida sem medo, um ato de coragem.
A partir de uma perspectiva única, Grande Magia nos mostra como abraçar essa curiosidade e nos entregar àquilo que mais amamos. Escrever um livro, encontrar novas formas de lidar com as partes mais difíceis do trabalho, embarcar de vez em um sonho sempre adiado ou simplesmente acrescentar paixão à vida cotidiana. Com profunda empatia e generosidade, Elizabeth Gilbert oferece poderosos insights sobre a misteriosa natureza da inspiração.

Na cabeceira – Caixa, Clarice Lispector


Por que você escreve?, perguntaram a Clarice. Por que você bebe água?, ela retrucou. Clarice na cabeceira é essencial. Grandes personalidades e pesquisadores fazem uma seleção apaixonada dos contos, crônicas textos jornalísticos e trechos de romances que funciona como uma porta de entrada para o fascinante universo de Clarice Lispector. O único risco de se render ao charme desta coleção é vir a se encantar com a obra completa da mais celebrada autora nacional da literatura nacional.

     Obrigada por acompanharem meu trabalho. Não se esqueçam de seguir as redes sociais do blog e o canal do Youtube (Clique aqui para se inscrever). Bjoxxx e até a próxima =) 

Share this:

JOIN CONVERSATION

    Blogger Comment

0 comentários :

Postar um comentário