[Resenha] Ligeiramente seduzidos


  
Título original: Slighthy tempted
Autora: Mary Balogh
Editora: Arqueiro


                Após nove longos anos, Gervase Ashford, o conde de Rosthorn, finalmente está de volta à sociedade inglesa. Seu exílio forçado o fez vagar por todo o continente e ainda era estranho ouvir que todos à sua volta falavam com o sotaque carregado e possuíam praticamente o mesmo comportamento polido e aristocrático. Seu  retorno ao seio da sociedade não poderia ter acontecido em melhor ocasião: o baile do visconde de Cameron, em Bruxelas, período em que vários oficiais acompanhados de suas famílias faziam uma pausa de suas batalhas contra Napoleão, em defesa da Inglaterra. Mas, mesmo com todo um batalhão participando de festividade Gervase se sentia deslocado, afinal já era um homem de 30 anos e se admirava com a grande quantidade de jovens recém saídos das escolas  envolvidos  na guerra.


                Durante o baile e ainda admirado com a quantidade de jovens presentes, o conde de Rosthorn, percebe a presença de uma jovem estonteante que chama atenção da maioria dos presentes. Pela aparência da moça é fácil perceber que ela acabou de sair da sala de aula e com certeza é jovem demais para ele. Porém, ao ser informado que ela é Lady Morgan Bedwyn irmã mais nova de seu antigo desafeto, o Duque de Bewcastle, Gervase não pensa duas vezes antes de elaborar seu plano de vingança contra o rival. Assim na mesma hora, ele pede para ser apresentado a jovem dama, que como era esperado o ignora.

                Mas, determinado a por seu plano em prática e a dá uma boa lição no homem que o fez viver excluído durante quase uma década, Rosthorn começa ali mesmo a cortejar a moça. Assim, pede que as senhoras presentes autorizem que ele dance com a jovem durante o baile, mas como o objetivo é escandalizar as matronas, a dança escolhida é a valsa no melhor estilo Viena, ou seja, bem mais próxima.

                Ao contrário da maioria das jovens da aristocracia, Morgan Bedwyn escolheu ir à Bruxelas. Não que algum dos seus irmãos estivesse diretamente ligado à batalha eminente, mas o sentimento de curiosidade sobre o que de fato acontece nos arredores e com os participantes de uma guerra, sempre despertaram seu interesse. Apear dos seus 18 anos, a mais jovem dos Bedwyns nunca deixou se abater ou de questionar os mais velhos ou quem discordasse de sua opinião, por isso a cada vez que alguém dizia que ela era jovem demais para se preocupar com esse tipo de assunto, a determinação de Morgan aumentava ainda mais.


                Uma jovem jamais poderia viajar sozinha, assim Bewcastle deixa que a irmã vá a Bruxelas na companhia de Lady Caddick e família. Aliás, o filho mais velho da matrona, o lorde Gordon havia deixado bem claro às suas intenções para com Morgan e toda a aristocracia já dava com certa o noivado e futuro casamento entre eles. Mas, mesmo com a pressão da família e do próprio rapaz, à moça continua sem interesse de formalizar uma união com o Gordon.

                A primeira impressão de Morgan sobre Rosthorn é que ele compromete a reputação das damas da sociedade e por isso a fama de libertino é conhecida por todos. Além disso, existem muitas fofocas sobre o real motivo de Gervase está a tanto tempo longe de Londres. Para algumas pessoas ele é até mesmo considerado um espião do governo inglês, que trabalha infiltrado no exercito de Napoleão. Mesmo com a fama duvidosa do conde, Morgan aceita valsar com ele durante o baile chamando a atenção para ela e futuras fofocas nas salas de chá da aristocracia.

                Como uma das etapas de seu plano de vingança contra Bewcastle, Rosthorn organiza um piquenique ao luar para seduzir Morgan e dessa maneira acabar com a reputação dela. Porém, eles ainda não sabem toda a estratégia traçada para vingança ou mesmo a troca de flertes entre Morgan e Gervase os aproxima e faz nascer uma amizade que dará início a uma irresistível paixão.


                Em “Ligeiramente Seduzidos” somos apresentados a um novo relato sobre a Batalha de Waterloo. Agora, conhecemos o que aconteceu pelos olhos de pessoas comuns que estavam nos arredores do campo de batalha. Pessoalmente, acho que esse tipo de relato enrique o leitor com relatos mais reais do que realmente aconteceu, como no caso das mulheres  e esposas e famílias dos oficiais que mesmo vivendo em extremo estado de alerta por causa do que poderia vir a acontecer com seus maridos e filhos, não se precisavam a prestar atendimento aos feridos inimigos ou não.


                Apesar de todo contexto histórico aqui envolvido, o quarto volume da série não me conquistou. A história é muito monótona e a sede de vingança dos protagonistas acaba por deixar a história dos protagonistas acaba por deixar a história sem um crescimento verdadeiro de caráter dos personagens. E mesmo após todos os segredos serem revelados e o futuro dos personagens ser traçado, faltou algo que fizesse a história de Morgam Bedwyn ser mais marcante, especialmente pelo fato da protagonista ser uma jovem tão decidida e questionadora do seu contexto social

      Obrigada por acompanharem meu trabalho. Não se esqueçam de seguir as redes sociais do blog e o canal do Youtube (Clique aqui para se inscrever). Bjoxxx e até a próxima =) 

Share this:

JOIN CONVERSATION

1 comentários :

  1. Thati, também não gostei muito desse livro. Apesar de ter amado todo o contexto histórico descrito, o romance em si ficou muito a desejar. Espero que os últimos superem minhas expectativas.

    www.jatracei.com

    ResponderExcluir