[Resenha] Pollyanna


Título original: Pollyanna
Autora: Eleanor H. Porter
Editora: Autêntica

                Pollyanna é uma criança de 11 anos que após ficar órfã vai morar com sua tia Miss Polly, no interior dos Estados Unidos. Única parente que a menina tem, a amargurada e solitária jovem senhora enxerga a chegada de sua única sobrinha apenas como uma obrigação por isso, antes mesmo de conhecer a pequena determina todas as regras que deverão ser seguidas, mantendo assim a maior distância possível da menina.


                Mas, quando Pollyanna chega a pequena Beldingsville se transforma para sempre. Otimista incurável a garotinha põem em prática desde o primeiro minuto o seu “Jogo do Contente” contagiando a todos com seu sorriso, alegria e paixão pela vida. A menina nos ensina que sempre há um motivo para ficarmos contentes, como por exemplo: imagine só você pedir uma boneca nova de presente e no lugar receber um par de muletas?! Muitos, ou melhor, quase todos não achariam que isso é motivo para se alegrar, mas se você perceber que pode ficar contente por não precisar usar as muletas!


                É através dos pequenos detalhes que deixamos passar em nossa rotina que estão os verdadeiros motivos para ficarmos contentes. O fato de Pollyanna ensinar as pessoas a enxergar o lado positivo das situações mais difíceis ensina de maneira delicada e bem eficaz o quanto devemos tirar o melhor proveito de situações que nos deixam para baixo.

                Escrito em 1913, esse clássico da literatura juvenil pode ainda hoje servir para guiar os leitores a enxergarem o lado positivo das coisas. “Pollyanna” é um manual de como o mundo pode ser mais leve, amoroso e bonito já que a transformação que desejamos ver no mundo ao nosso redor precisa começar dentro de nós. Não é fácil para ninguém aprender a tirar proveito das circunstâncias mais inquietantes, porém é praticando o jogo do contente ou pensamentos positivos nos bons e maus momentos que poderemos evoluir como pessoas e em espirito.


                O contexto histórico em que o enredo foi desenvolvido nos apresenta os valores, costumes e crenças de uma cidadezinha do interior entre as décadas de 1910 e 1920. Muitos consideram essa história dramática e bastante inocente principalmente devido ao comportamento de Pollyanna, mas o quê as pessoas esquecem é que os valores aqui transmitidos são os mesmos de que a sociedade está mais carente: honestidade, sinceridade, pureza, empatia e amor ao próximo sem esperar nada em troca.


                Com seu jeitinho meigo, a protagonista conquista a todos os moradores da pequena Bedingsville e assim como ela conquista a eles, o leitor passa a ser envolvido pela  simpatia, inocência e carisma da pequena. A principal evolução acontece com a Miss Polly, tia da garota que vivia amargurada já que na juventude não pode viver o amor que tanto desejou. Antes da chegada da pequena Pollyanna, ela acreditava que tudo na vida era restrito a obrigações e deveres a serem cumpridos, sem espaço para qualquer diversão, mas foi à menina que sempre achava uma faísca de felicidade em tudo, que mudou a maneira dela enxergar o mundo. 

      Obrigada por acompanharem meu trabalho. Não se esqueçam de seguir as redes sociais do blog e o canal do Youtube (Clique aqui para se inscrever). Bjoxxx e até a próxima =) 

Share this:

JOIN CONVERSATION

1 comentários :

  1. Esse livro é tão lindo e maravilhoso! É muito mais que um livro infantil, porque fala com a nossa alma sobre valores tão importantes e que têm sido esquecidos. <3
    Parabéns pela resenha, Thati!

    ResponderExcluir